sábado, 20 de agosto de 2016

Festival 2017 [9]: prêmio Von Braun de Minifoguetes

prêmio Von Braun de Minifoguetes foi criado no Festival de Minifoguetes de Curitiba 2015.

Seu objetivo é premiar pessoas e instituições que tenham contribuído significativamente para o desenvolvimento dos minifoguetes ou para a popularização do espaçomodelismo.

A concessão do prêmio é feita de acordo com as seguintes regras:
  1. Qualquer pessoa ou entidade poderá fazer indicações para o prêmio.
  2. O prêmio será concedido anualmente durante o Festival Brasileiro de Minifoguetes.
  3. A decisão sobre a concessão ou não do prêmio é da Comissão Organizadora de cada Festival Brasileiro de Minifoguetes.
  4. Poderão ser premiados anualmente várias, uma ou nenhuma pessoa ou entidade.
  5. Membros da Comissão Organizadora do Festival Brasileiro de Minifoguetes não poderão ser indicados ao prêmio.
  6. O prêmio consistirá em um certificado.
Quem tiver interesse deverá submeter ATÉ O DIA 31 DE AGOSTO a sua indicação ao prêmio através do e-mail minifoguete@gmail.com junto com uma justificativa.

O prêmio será entregue durante o IV Festival Brasileiro de Minifoguetes em 2017.

Informações sobre as pessoas e entidades que já receberam o prêmio estão disponíveis em
http://servidor.demec.ufpr.br/foguete/Premio_Von_Braun_de_Minifoguetes/

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Festival 2017 [8]: data indefinida

Infelizmente fomos surpreendidos recentemente com a indisponibilidade da Fazenda Canguiri da UFPR para realizar lançamentos do IV Festival Brasileiro de Minifoguetes em fevereiro de 2017.

No momento estamos procurando um novo local para realizar os lançamentos e manter o evento no período já divulgado: 14 a 17 de fevereiro de 2017.

Caso este local não seja encontrado, seremos forçados a mudar a data do evento para 28 de abril a 1 de maio de 2017 nos mesmos locais dos Festivais anteriores.

domingo, 7 de agosto de 2016

Recordes brasileiros de minifoguetes [7 Ago 2016]

Recordes Brasileiros de Minifoguetes

comprovados com altímetro de bordo

7ª edição: 7 de agosto de 2016 (resumo)

Este documento apresenta os recordes brasileiros relacionados a minifoguetes, registrados pela Associação Brasileira de Minifoguetes ou Brazilian Association of Rocketry (BAR).

Apogeu máximo para minifoguete com um único motor em cada classe/categoria

Categoria
Recorde (m)
Data
Minifoguete
Nome/Equipe
NAR (m)
Classe 1¤8A
    17
21 Abr 2016
Gavião Miudinho
Greave/UP

Classe 1¤4A
    58
05 Mar 2016
Épsilon-24
Épsilon-LAE/UFPR
   62
Classe 1¤2A
   121
08 Fev 2015
Alfa-6
UFPR-Alfa
  151
Classe A
   169
20 Abr 2015
Alfa-19
UFPR-Alfa
  313
Classe B
   336
12 Dez 2015
Gama-13
Gama-LAE/UFPR
  353
Classe C
   423
19 Abr 2015
Gama-10
UFPR-Gama
  508
Classe D
   261
22 Abr 2016
Bixcoito-9
GFRJ/UERJ
  856
Classe E
   723
08 Ago 2015
Épsilon-8
UFPR-Épsilon
 1359
Classe F
   370
19 Dez 2015
Netuno-R/Paraná-I
LAE/UFPR
 1701
Classe G




 2071
NAR: National Association of Rocketry (Estados Unidos) [recordes acessados em 10 Abr 2016]

Apogeu exato para minifoguete com um único motor de qualquer classe

Categoria
Recorde (m)
Data
Minifoguete
Nome/Equipe
  50 m
    54
18 Abr 2015
Alfa-14
UFPR-Alfa
 100 m
    94
18 Abr 2015
Pluto-3
UFPR-Alfa
 150 m
   159
12 Abr 2014
LAE-22
UFPR-Fixo
 200 m
   199
20 Jun 2015
Beta-10
UFPR-Beta
 400 m
   406
14 Dez 2014
Épsilon-1
UFPR-Épsilon
 800 m
   626
19 Abr 2015
Épsilon-9
UFPR-Épsilon
1000 m
   668
13 Abr 2014
LAE-36
UFPR-Livre

Outros tipos de recordes

Categoria
Recorde
Data
Minifoguete
Nome/Equipe
 Velocidade máxima (km/h)
1018
22 Abr 2016
KMC
Kosmos/UFSC
 Aceleração máxima (g)
  37,7
22 Abr 2016
KMC
Kosmos/UFSC
 Maior tempo de voo até o apogeu (s)
  11,7
08 Ago 2015
Épsilon-8
UFPR-Épsilon
 Maior tempo total de voo (s)
 183,1*
08 Ago 2015
Épsilon-13
Épsilon-LAE/UFPR
g = 9,80665 m/s2; * baseado em um cronômetro e um vídeo em solo

Observações:
1) Os recordes da NAR servem de referência aos brasileiros.
2) Os pedidos de registro de novos recordes podem ser feitos por qualquer pessoa ou equipe do Brasil, de estudantes de qualquer nível ou não estudantes, equipes mistas, não havendo nenhum tipo de restrição.
3) Só serão aceitos recordes estabelecidos por brasileiros.
4) Pedidos de registro de novos recordes devem ser enviados para minifoguete@gmail.com, junto com os dados do novo recorde. Para ser reconhecido um recorde, talvez sejam solicitadas informações adicionais.
5) Só serão reconhecidos recordes obtidos com altímetro de bordo que registrem a trajetória pelo menos até o apogeu. Todos os dados obtidos pelo altímetro durante o voo deverão ser enviados para o registro.
6) Qualquer dúvida e proposta de novas categorias poderão ser enviadas para minifoguete@gmail.com.

Carlos Henrique Marchi
Associação Brasileira de Minifoguetes
Brazilian Association of Rocketry (BAR)

domingo, 24 de julho de 2016

Lista das Comissões de Trabalho da BAR


1) Estatuto da BAR: propor o estatuto da associação.
Antonio Ricardo Zaninelli Nascimento
Paulo Gontran Ramos
João Batista Garcia Canalle
Leonardo Nerone
Alysson Nunes Diógenes

2) Nomenclatura: padronizar os termos e definições na área de minifoguetes.
José Miraglia
Paulo Gontran Ramos
Nicholas Dicati Pereira da Silva
Maurício Sá Gontijo

3) Segurança TE: padronizar regras de segurança para testes estáticos.
Paulo Gontran Ramos
José Félix de Santana
Álvaro Ricardo Ferreira Bento Júnior
Tiago Cassol Severo
Oswaldo Barbosa Loureda
Nicholas Dicati Pereira da Silva

4) Segurança LT: padronizar regras de segurança para lançamentos.
Paulo Gontran Ramos
José Félix de Santana
Álvaro Ricardo Ferreira Bento Júnior
Tiago Cassol Severo
Oswaldo Barbosa Loureda
Nicholas Dicati Pereira da Silva
Luciano Kiyoshi Araki
Eduardo Matos Germer
Rafael Queiroz Magalhães

5) Divulgação e Patrocínio: definir e executar ações para divulgar a BAR e obter patrocínio visando atingir seus objetivos, bem como conseguir novos sócios.
Dimitri Scripnic
Ronaldo Matos
Fabio Mauricio Matos
Alysson Nunes Diógenes

6) Regulamentação: propor um regulamento para atividades com minifoguetes no Brasil visando sua aprovação legal na esfera competente.
Paulo Gontran Ramos
José Félix de Santana
Oswaldo Barbosa Loureda
Alysson Nunes Diógenes
Vinicius Gomes

7) Qualificação de motores: padronizar a análise de testes estáticos de motores de minifoguetes.
José Miraglia
Elder Samuel
Flávio Marcacini Rodrigues
Ronaldo Matos
Victor Eduardo
Nicholas Dicati Pereira da Silva
Luciano Kiyoshi Araki
Eduardo Matos Germer
Diego Fernando Moro
Dimitri Scripnic
Pedro Luiz
Júlio César Marques de Lima

8) Qualificação de minifoguetes: padronizar a análise de lançamentos de minifoguetes.
José Miraglia
Elder Samuel
Flávio Marcacini Rodrigues
Ronaldo Matos
Victor Eduardo
Eduardo Matos Germer
Diego Fernando Moro
Dimitri Scripnic
Pedro Luiz

A Associação continua aberta a novos interessados em integrar as diversas comissões acima. Quem tiver interesse, basta enviar um e-mail para minifoguete@gmail.com

Grato

Carlos Henrique Marchi
Associação Brasileira de Minifoguetes (ABmF)
Brazilian Association of Rocketry (BAR)

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Festival 2017 [7]: regras para apogeu máximo

As regras para as categorias de apogeu máximo do IV Festival Brasileiro de Minifoguetes são as seguintes:

· Objetivo: o minifoguete deve atingir o maior apogeu em cada categoria.
· 2 categorias: classes ½A e A.
· Classe do motor-foguete: a de cada categoria, conforme a tabela abaixo.
· Quantidade de motores em cada minifoguete: um.
· Quantidade de estágios no minifoguete: um.
· Vencedor: a equipe cujo minifoguete atingir o maior apogeu.
· A tabela abaixo especifica o intervalo de impulso total do motor de cada classe, o recorde da NAR (National Association of Rocketry – Estados Unidos) e brasileiro em cada categoria e o apogeu mínimo que cada minifoguete deve atingir para ser classificado e premiado.

    Classe
Impulso total (N.s)
Recorde NAR (m)
Recorde brasileiro (m)
Apogeu mínimo (m)
1/2A
 0,626 a 1,25
      151
      121
     60
A
 1,26  a 2,50
      313
      169
     84
Recordes NAR e brasileiros atualizados até 17 Mai 2016

Regras gerais para todas as categorias:

1) Os minifoguetes serão lançados com ângulo de 80º ± 1º.
2) Cada equipe poderá tentar até duas vezes ignitar o motor de cada minifoguete em cada categoria. Caso não consiga ignitar, deverá substituir o motor e/ou minifoguete e poderá fazer uma nova e última (terceira) tentativa de ignitar o motor.
3) Cada equipe poderá lançar um minifoguete em cada categoria. Mas, dependendo do número de equipes concorrentes, do tempo disponível para realizar os lançamentos, do número de altímetros disponíveis, das condições meteorológicas e da decisão da equipe, poderá haver um segundo lançamento.
4) Cada equipe será responsável por encontrar o seu minifoguete após o voo.
5) Método para determinar o apogeu: altímetro eletrônico a bordo que registre a trajetória completa, desde o lançamento até o impacto com o solo; não são aceitos altímetros que só registram o apogeu.
6) Se por qualquer motivo não puder ser lido o apogeu de um altímetro, o valor será considerado nulo e o minifoguete será desclassificado.
7) Cada equipe deverá usar em seus minifoguetes os seus próprios altímetros, sejam comerciais ou caseiros. Sob pedido, a Organização do Festival poderá emprestar os seus altímetros para uso no evento; neste caso, se o altímetro for perdido ou danificado, a equipe terá que devolver outro igual.
8) As três equipes com os melhores resultados em cada categoria serão premiadas desde que o apogeu do minifoguete registrado pelo altímetro atinja o apogeu mínimo da respectiva categoria na qual concorre, conforme indicado na tabela acima.

Regras sobre as equipes:

1) Cada equipe deverá fazer a sua inscrição no prazo estipulado pela Organização do Festival.
2) Não há qualquer restrição sobre as equipes das competições em relação ao número de membros, nível de escolaridade, curso, instituição, idade etc; inclusive, uma equipe poderá ser constituída por uma única pessoa.
3) Não há limite no número de equipes de uma mesma instituição de ensino, nem quanto à sua constituição, se de um ou mais cursos.
4) Uma mesma equipe poderá participar das categorias que quiser, entre uma e todas.
5) A participação no evento é aberta a qualquer pessoa, estudante de qualquer nível de ensino ou não estudante.
6) Cada equipe terá que arcar com as suas despesas de viagem, hospedagem, transporte e alimentação durante o evento. Porém, a Organização do Festival tentará conseguir alojamentos improvisados na UFPR sob pagamento de uma pequena taxa para quem tiver interesse. Será cobrada uma taxa para o transporte entre os dois locais do evento (Centro Politécnico e Fazenda) para quem tiver interesse. Outras facilidades e respectivas taxas serão informadas através dos formulários de inscrição.
7) Cada membro de equipe menor de 18 anos deverá apresentar uma autorização de seus responsáveis, que permita participar das competições.
8) Cada participante terá que assinar uma declaração na qual se responsabilizará por qualquer dano causado por seus minifoguetes e sua participação no evento.
9) Durante o evento, ninguém poderá consumir bebida alcoólica ou substâncias proibidas.
10) As equipes deverão fazer a inscrição de seus membros no prazo estipulado pela Organização do Festival, pagando uma taxa por membro. Os valores pagos não serão devolvidos no caso de desistência da equipe inteira ou de parte da equipe.
11) Cada equipe deverá expor os seus minifoguetes e um banner sobre a equipe e seus minifoguetes.
12) Um mesmo grupo de foguetes só poderá participar com uma equipe em cada categoria.

Regras sobre os motores-foguete:

1) Cada equipe terá que usar um motor-foguete fornecido pela Organização do Festival no início da sessão de lançamentos. A equipe terá até 30 minutos para preparar o seu minifoguete após receber o motor.
2) Informações detalhadas sobre os motores que deverão ser usados estão disponíveis na internet no link
3) Para a classe ½A há um único tipo de motor disponível, do tipo fogos-de-artifício (foguete-de-vara); o propelente fica exposto na parte superior dele, não tendo fechamento.
4) Para a classe A há dois tipos de motor disponíveis. Cada equipe terá que optar por um deles. Um dos tipos de motor é de fogos-de-artifício (foguete-de-vara); o propelente fica exposto na parte superior dele, não tendo fechamento. Já o outro tipo de motor é fabricado pela Bandeirante, próprio para espaçomodelos, com tubeira e tampa de fechamento do propelente.
5) Estes motores não poderão sofrer qualquer modificação pela equipe.
6) Estes motores não têm carga temporizadora nem carga ejetora.

Regras sobre os minifoguetes:

1) Cada equipe deverá projetar e fabricar ou montar os seus minifoguetes.
2) É obrigatório que cada minifoguete tenha algum sistema de recuperação por paraquedas, fita etc para reduzir a velocidade de queda do minifoguete a no máximo 36 km/h (10 m/s), para permitir que ele seja visível e evite acidentes.
3) Cada equipe terá que arcar com as despesas de desenvolvimento e testes de seus minifoguetes.
4) Se o sistema de recuperação não funcionar e/ou a velocidade de queda do minifoguete for superior a 36 km/h (10 m/s), ele será desclassificado.
5) Cada equipe será responsável pelo lançamento dos seus minifoguetes, com sua própria rampa de lançamento e sistema de ignição. Sob pedido, a Organização do Festival poderá emprestar as suas rampas de lançamento e sistemas de ignição.
6) Para cada categoria, a equipe deverá fazer a inscrição do seu minifoguete no prazo estipulado pela Organização do Festival, incluindo fotos, vídeos, dados e resultados de pelo menos dois voos bem-sucedidos antes do Festival. O minifoguete inscrito no Festival deverá ter as mesmas características físicas (geométricas, materiais e de massa) dos dois testes bem-sucedidos antes do evento. Será cobrada uma taxa para inscrever minifoguete em cada categoria. Com base na inscrição, a Organização do Festival poderá indeferir o uso do minifoguete no evento, por considerá-lo inseguro.
7) Poderão ser usados minifoguetes constituídos por qualquer tipo de material.
8) Desde que sejam atendidas as restrições acima, as equipes têm liberdade para fabricar e montar os seus minifoguetes da forma que quiserem, usando componentes ou kits comerciais ou de fabricação própria.

Locais a serem realizados os lançamentos dos minifoguetes:

1) Centro Politécnico da UFPR, campo de futebol 1 do CED, em Curitiba (PR). Altitude: 908 ± 1 m.
Coordenadas: S 25º 27’ 11,54” e W 49º 14’ 10,10”.

2) Fazenda Canguiri da UFPR, NITA, em Pinhais (PR). Altitude: 925 ± 1 m.
Coordenadas: S 25º 24’ 4,70” e W 49º 7’ 14,94”.

Contato para esclarecer dúvidas:    minifoguete@gmail.com